quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Manchete preventiva

Jadson Oliveira

O pessoal de Bush inventou a guerra preventiva, através da qual o governo dos Estados Unidos invade um país e se apossa de seus recursos naturais (petróleo, gás, etc), com a alegação de que está se prevenindo contra futuras ações terroristas ou com a utilização de simples mentiras, como foi o caso das armas de destruição massiva que existiriam no Iraque.

Agora a Tribuna da Bahia (nossa Tribuninha, como chamávamos carinhosamente) inventou a manchete preventiva. Estampou na primeira página, há poucos dias, mais ou menos assim: “Vamos ver o que o Ibope vai aprontar agora”, depois de se referir ao empate técnico entre os três candidatos a prefeito de Salvador (ACM Neto, João e Pinheiro). Mas, parece que não adiantou. Logo em seguida, o Ibope aprontou mesmo e sapecou o concorrente do DEM ainda com uma vantagem razoável sobre os outros dois (28 a 20).

A propósito de pesquisas, volto a falar: é temeridade ou má-fé abrir manchete destacando liderança de algum candidato, com base em diferenças mínimas nos percentuais. Hoje, dia 2, A Tarde grita na primeira página a frente de João sobre ACM Neto, quando a diferença é, na verdade, um ponto percentual, segundo o DataFolha. Na página de dentro, o título está coerente, sublinhando a indefinição entre os três primeiros. A Tribuna e o Correio foram pela mesma linha, destacando o empate.

Imbassahy em quarto?

Ainda sobre pesquisas, o companheiro Franciel Cruz, do controverso blog Ingresia, parece que acertou uma. Quando Imbassahy despontava como um dos favoritos na disputa eleitoral, ostentando o primeiro lugar junto com ACM Neto, ele previu, alardeou, apostou que o tucano iria ficar no quarto lugar. Vamos conferir no domingo.
( Aliás, a companheira Joana D'Arck, consagrada jornalista que ultimamente vem se especializando em marketing político, sempre defendeu também tal visão).

O curioso é que Franciel não escreveu sobre isso no Ingresia. Alega que seu blog só trata de coisa séria, classificação na qual eleição não se encaixa. Ele escreve sempre sobre a iminência do Vitória ser campeão brasileiro. Até agora, porém, sua “avaliação” não passou de um “pensamento desejoso” (queria usar a expressão em inglês, mas não estou seguro, o companheiro Ivan de Carvalho a conhece bem, wish thinking?)


Viva o pragmatismo

O nosso Biaggio Talento assina instigante matéria em A Tarde de ontem, dia primeiro, Diferença ideológica fica em último plano”, dando conta da promiscuidade (ele não usa tal termo) entre os nossos partidos políticos, destacando especialmente a aliança entre DEM e PC do B em Brejões. O presidente do DEM, ex-governador Paulo Souto, informa na matéria que seu partido tem, nas eleições municipais da Bahia, seis coligações com o PC do B, quatro com o PV e sete com o PSB.

Claro que isso não é “privilégio” dos nossos companheiros “comunistas”, “socialistas” e “verdes”. Estão aí os nossos queridos companheiros petistas como partícipes dessa barafunda. PT, PSDB, PPS, PDT, PMDB formam tudo um saco-de-gatos dos diabos. Tudo se justifica pelas badaladas “realidades locais” ou pelo pragmatismo, uma palavra realmente pragmática. Por que não oportunismo?

Na verdade, gostaria de alfinetar mais o PT e o PC do B, pois acho que é onde tenho a maior quantidade de amigos, partidos com os quais tive maior afinidade ideológica e política. Creio que ainda tenho, feliz ou infelizmente. (Tenho um velho camarada dos tempos brabos da ditadura, dos tempos do PC do B, que hoje milita no PSB e está apoiando um candidato do PSDB. Ele fica todo acabrunhado e se consola: “Essas merdas desses partidos hoje não representam mais nada, é tudo a mesma merda...”)

Me recordo de um ponto que, para nós, militantes, era básico. Toda ação ou toda decisão que adotávamos era boa, DESDE que contribuísse, de alguma forma, para elevar o nível de educação, mobilização e organização do povo. Será que os petistas e pecedobistas ainda pensam coisas assim tão anacrônicas? Ou o que importa é buscar ganhar uma eleição, mesmo pagando o preço da deseducação política do povo? Ou é tudo a mesma merda mesmo e o importante é a carreira política de cada um?

Há uns 10 anos, li uma entrevista de Jacob Gorender, que jogava um balde de água gelada no PT, dizendo claramente que o partido tinha morrido como instrumento de transformação social. Hoje creio que isso não está mais nem em discussão. O partido conseguiu manter um certo diferencial aqui e ali, mas foi ficando cada vez mais igual aos demais. E quando chegou à presidência, aí a situação complicou mais ainda.

A despeito deste quadro partidário caótico – e para não deixar pairando no ar este tom amargo de pessimismo -, penso que o governo Lula vem logrando êxitos significativos, particularmente no difícil combate às desigualdades sociais no Brasil e na América Latina.

6 comentários:

Franciel disse...

Jadson, que história é esta de chamar o impoluto Ingresia de controverso?

Como diria Bento XVI: vá pá porra!

joana disse...

Só uma provocação sobre o Ingresia fez Franciel entrar aqui. E não foi por falta de convite. Um pouco do seu humor e irreverência cairia bem no MB. Entre nessa Françu. Seja bem vindo. Joana.

Mônica disse...

Isso mesmo, Franciel, chegue mais. Até Araka já deu o ar da graça.
Gente! Por falar em eleição o que foi aquele debate da TV Bahia? Hilton e João Henrique levantando a bola para ACM, o Neto, fazer o gol. O primeiro perguntou sobre o caso Neilton e o segundo sobre a utilização das imagens de Lula no programa de Pinheiro. Pode?
E ainda diz que é o candidato da esquerda radical. kkkkk Continua "babando pra cima" como sempre.

Antonio disse...

Mônica: não é verdade que Hilton levantou a bola pra ACM, o Neto. Muito pelo contrário, foi quem mais bateu em ACM, o Neto, em todas as oportunidades. Neste e nos outros debates. Inclusive, na própria pergunta sobre a saúde. Pois, na réplica, deixou escancarado que ACM, o Neto, criticava a gestão do PT-PMDB na saúde de João Henrique somente por oportunismo, pois ele próprio (ACM, o Neto) era responsável pela péssima gestão da saúde de Imbassahy e pela secretária do mesmo que recebeu voz de prisão.

Biaggio disse...

Compañero Jadson, muito boa sua análise. A parte que gostei mais foi a do seu amigo ex-comunista, hoje tucano, que definiu muito bem com uma palavra (merda) os partidos dos dias de hoje. Pra aumentar minha admiração por ele, me diga: ele também é gigolô?

Carmela disse...

Que conversa é essa de ¨ele também é gigolô¨.Gostaria de maiores detalhes.