quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Discípulos de Maluf

Carmela Talento
Quando Paulo Maluf em um debate de televisão, para fugir às perguntas inconvenientes, optou por responder coisas totalmente alheias ao que era questionado, mal sabia que estava criando uma escola de cinismo para candidatos.

Hoje essa prática tornou-se corriqueira. Um desrespeito e uma afronta aos que ainda acreditam que podem decidir o voto assistindo ao amontoado de asneiras desses debates engessados por tantas regras, ou com a propaganda eleitoral.

O pior é que ainda tem jornalista que se presta a entrar nesse jogo de cena. É preciso reagir. Colegas, por favor, repitam a mesma pergunta até que seja convenientemente respondida, ou, na melhor das hipóteses, levantem e deixem o sujeito falando sozinho.

Eleição é uma oportunidade única de se discutir seriamente com a cidade seus problemas. Sem enrolação. Tema por tema, até porque todo mundo sabe que estar no poder não confere a ninguém a porção mágica para resolver questões complexas com a simplicidade que tentam passar durante a campanha. É a história que mostra isso, basta pesquisar o que já foi prometido em eleições passadas e o que se cumpriu efetivamente.


Na verdade, na propaganda eleitoral não existe programa de governo, mas apenas manifestações de desejos, intenções. Vamos aos exemplos:

Imbassahy diz que vai construir não sei quantos postos de saúde, uma penca de hospitais e que tem uma dinheirama danada para isso, embora a realidade nos postos de saúde é que nem remédio direito se encontra. Mas vamos supor que tenha dinheiro.

Será que já existem locais definidos para a construção dos tais postos?

É terreno da Prefeitura?

A Prefeitura dispõe desses espaços ou vai ter que comprar um imóvel para construir?

Os projetos estão prontos?

Ultrapassada todo essa parte burocrática, quanto tempo leva para um posto entrar em funcionamento?

E para a compra dos equipamentos, vai ter licitação? Quanto tempo leva isso? E um hospital?

Vamos fazer uma pesquisa para saber quanto tempo foi preciso para o Hospital Geral ficar pronto?

Chega ao último ano de gestão e lá vem outra vez o mesmo elemento pra dizer que não deu para fazer o que precisava.

Sai de cena Imbassahy, entra Pinheiro prometendo botar o metrô pra funcionar, como se isso dependesse só dele, e ainda vai construir o VLT.

Só prá lembrar, teve um ex-prefeito que também prometeu esse sistema de transporte e até hoje estou sentada esperando o tal bonde.

Chega Neto, que não é mais ACM (um parêntese; se não fosse ACM quem seria Neto, certamente um neto qualquer, ou não?) e garante que as escolas funcionarão em horário integral.

Esse cidadão sem dúvida desconhece a realidade da rede municipal. Do contrário saberia que algumas unidades são tão minúsculas que mal dá para ministrar uma aula sem incomodar a outra sala. Portanto, vai precisar de muito espaço para viabilizar o projeto de escola em tempo integral em toda a rede.

Aí pergunto: será que no orçamento para o próximo ano que é elaborado pela atual administração estão previstos os custos para isso?

Quanto é mesmo que vai custar essa implantação, visto que serão necessários locais para atender as crianças em bairros onde as escolas não oferecerem condições para as atividades pensadas, como aulas de música, teatro, dança, etc., além da contratação de professores para dar essas aulas?


Como serão contratados esses professores? Por concurso ou terceirizados? Sim, porque se for por concurso demanda tempo, no mínimo uns seis meses até publicar edital, realizar o concurso e convocar os professores, isso se correr tudo bem, se não houver nenhum questionamento na justiça.

Portanto, esse é um projeto que não pode ser concretizado em um piscar de olhos, como o candidato quer fazer crer.

Vem João Henrique e diz que quer ficar para continuar a fazer o que está fazendo, aí é demais. Já que é para esculhambar nada contra Hilton que não diz coisa com coisa. Esse parece que entrou na disputa só pra “tirar sarro”, nós merecemos.

Pelo amor de Deus, parem por aí enquanto é tempo, não menosprezem tanto a nossa inteligência. Entendam, de uma vez por todas, que, ou se respeita o eleitor, ou a política continuará sendo uma das atividades de maior descrédito junto à população.

Carmela Talento
Jornalista- DRT 1011

7 comentários:

Mônica disse...

Isso mesmo, Carmelinha. Tá faltando seriedade nas campanhas e sobrando marketing. Os candidatos são vendidos como mercadorias e os programas cada vez mais se assemelham àquelas propagandas do varejo: quem gritar mais leva o cliente no papo; o produto mais enfeitadinho sai na frente e assanha os consumidores, mesmo que não seja uma Brastemp.
Mas da prateleira ao carrinho de compra a distância é grande e é aí que nós entramos. É preciso questionar essas promessas de porta de quitanda e abrir os olhos dos eleitores para a importância de perceber a diferença entre uma propaganda enganosa, por mais que a oferta seja tentadora, e uma viável, mesmo que não seja lá essa Coca-Cola toda.

Carmela disse...

Pois é. Eu estou chegando a uma idade que não tenho mais paciência para ouvir tanta bobagem.Desligar o rádio e a televisão poderia ser um bom caminho, mas com acredito na democracia e no poder do voto, não posso participar de um processo desse sem saber o que está rolando.Isto posto, vou continuar questionando todas as propostas. Por falar nisso, quando será que os candidatos vão discutir seriamente a situação financeira do município? Tá na hora. Agora tem dinheiro para tudo, mas quando o camarada chega no Thomé de Souza, a primeira coisa que diz é que a cidade está falida.Portanto, vamos resolver isso logo agora. Tá falida ou não?

Joana D'Arck disse...

Êita, que essa Carmela não dá moleza mesmo. É isso aí, tem que cobrar logo agora, pra depois não ter choradeira.

Calazans disse...

Queridos e admirados Carmela, Bomfim, Mônica e Joaninha, que alegria ver vocês juntos em um projeto. Concentração de talento e caráter é coisa rara hoje em dia. Vida longa e feliz ao blog.

Um beijo em todos,
Ana Calazans

Carmela disse...

Pois é amigos e amigas, vamos fazer desse blog um espaço para debate.Tem muita gente boa por ai que também está engasgada com tanto blá,blá, blá.Vamos comentar, polemizar sem medo de cara feia.

cabro disse...

Muito Bom.

Me responda uma coisa.

Quem é que vai da continuidade ao que em Salvador?

Porque é tudo da mesma Familia
João Coelho Neto Henrique Imbassai Pinheiro Junior.

Carmela disse...

Amigo, alguém tem que tocar esse barco.Não pode é ficar à deriva conduzido por vários comandantes, uma hora vai prá um lado e outra para o outro.Por isso acho que devemos espremer( no bom sentido) os caras para tentar descobrir o menos pior .O bom da democracia é isso, vai votando até acertar.